Leucemia é tema de alerta no Fevereiro Laranja

A campanha Fevereiro Laranja alerta sobre a leucemia, câncer que afeta os glóbulos brancos. A principal característica desse mal é o acúmulo de células doentes na medula óssea, que é o local de fabricação das células sanguíneas.

A leucemia pode ter a forma aguda ou crônica. Na forma aguda, as células se multiplicam rapidamente provocando a morte das células saudáveis na medula óssea e sangue. Com isto, o paciente apresentará sintomas como intensa palidez, febre, dor óssea e sangramento cutâneo (hematomas no corpo), e se não tratado, virá a óbito em poucas semanas.

A forma aguda é considerada uma emergência médica e o paciente necessitará começar a quimioterapia rapidamente. Na forma crônica, as células se multiplicam lentamente e os sintomas podem demorar muitos meses para aparecerem. Esta forma também requer diagnóstico e tratamento específico, mas os sintomas são menos intensos.

Os tratamentos indicados para a leucemia dependem do tipo e extensão da doença. A pessoa pode fazer quimioterapia, imunoterapia, radioterapia, transplante de medula óssea ou a associação de diferentes tratamentos.

Transplante

O transplante de medula óssea é um tipo de tratamento proposto para algumas doenças que afetam as células do sangue, como as leucemias e os linfomas. Consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais da medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudável.

Hoje, já existem mais de 25 milhões de doadores cadastrados em todo o mundo. No Brasil, o REDOME promove a busca de doadores no Brasil e nos registros estrangeiros. Somente em Goiás, foram cadastrados 22 mil doadores no ano de 2018. O Brasil está entre os cinco maiores bancos de doação de medula óssea.

Em Juiz de Fora, o cadastro de doadores de medula óssea é feita pela unidade do Hemominas, no Centro (Rua Barão de Cataguases s/n).

Informações (32) 3257-3100

 32 

Comments are closed